17 de março de 2011

Death again

Olha eu aqui falando dela de novo. Será porque? Talvez ela seja muito importante e por isso eu falo sempre dela. Ou talvez porque estou simplesmente querendo falar nela. Ou porque não tenho mais nada pra dizer.
O fato é que, ela falo muito nela porque ela está presente na minha vida. E na sua também.
Quantas pessoas estão por aí chorando por não terem dado um último abraço? Quantas pessoas estão se lamentando por não terem dito adeus? E quantos não choram por não poderem ter dito o último "eu te amo"?
O que eu mais sinto falta é de não ter dito esse último 'eu te amo' pro meu pai. Quer dizer, eu disse, mas não foi com aquela ênfase de último. Como eu queria ter abraçado ele bastante, ter dito várias palavras de amor, de carinho, dizer um simples "xau"...
A correria do dia às vezes nos deixa pessoas mais desligadas quanto a isso. Só que não podemos nos esquecer que "ela" existe. E está aí, em todo o lugar. Pronta para agir. Até porque, ela é tão natural quanto um abraço, porém ninguém quer ela. Mas, cuidado! Faça tudo o que você tem que fazer com as pessoas que você ama, antes que ela apareça, porque daí, não vai adiantar dizer que ela é má...
...Ela, a morte!

Um comentário:

Waleska Frota. disse...

Com certeza Louise devemos
sempre que possivel dizer para as
pessoas que elas são especiais
para nós.Mas Deus em sua infinita
bondade sonda e entende nossos
corações.Abç fraterno.

Ocorreu um erro neste gadget